Cálcio + Vit D3 ‐ 45 Cápsulas - Ref: 3746

 

O nosso esqueleto é responsável por várias funções importantes como a sustentação e a locomoção do corpo, a proteção dos órgãos internos, a produção de células sanguíneas (hematopoiese) e o armazenamento de alguns minerais (como o cálcio e o fósforo).

Sendo o cálcio o principal mineral responsável pela formação dos ossos, é fundamental que os seus níveis sejam mantidos no organismo humano. Contudo, existem fases da vida em que as necessidades de cálcio são maiores, tendo aqui a suplementação alimentar um papel relevante.

 

 

O Cálcio + Vit D3 é um suplemento indicado para todas as etapas da vida em que há défice de cálcio e de vitamina D, assegurando a saúde dos ossos.

É particularmente útil na prevenção dos casos de osteopenia e osteoporose, bem como coadjuvante no tratamento destas e outras patologias osteoarticulares.

Este produto impede a perda de densidade mineral óssea (DMO), tornando os ossos mais fortes e diminuindo o risco de fraturas ósseas.

 

 

 

Cálcio

 

O cálcio é o mineral mais abundante do organismo humano, com funções muito importantes para o seu bom funcionamento. Destacam-se a formação de tecido ósseo, a coagulação do sangue, a regulação do pH sanguíneo e o seu contributo na atividade dos músculos (contração muscular) e do sistema nervoso. É, também, importante para o sistema cardiovascular e para a atividade cerebral.

 

 

O cálcio é um mineral essencial para a formação dos ossos e dos dentes.

Cerca de 99% de todo o cálcio existente no organismo encontra-se no esqueleto. O osso serve como reservatório deste, que vai sendo absorvido ou libertado para a corrente sanguínea conforme as necessidades.

 

 

É imprescindível que o cálcio seja ingerido nas quantidades recomendadas, sobretudo durante a infância, adolescência e início da idade adulta (fase da vida em que é atingido o pico de massa óssea e se formam as reservas de cálcio). A partir desta idade, a quantidade de massa óssea tende a diminuir ao longo do tempo, com o envelhecimento. Ocorre um desequilíbrio entre a mineralização do osso (pelos osteoblastos) e a sua reabsorção (pelos osteoclastos).

 

 

A osteoporose ("osso poroso") é uma doença esquelética progressiva caracterizada pela perda de massa óssea, com alterações da microarquitectura do tecido ósseo, levando a uma redução da resistência do osso e ao consequente aumento da suscetibilidade a fraturas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (1994), a osteoporose é definida com base na medição da DMO, com a obtenção de um valor mínimo de 2,5 desvios-padrão abaixo do pico médio de massa óssea de um jovem adulto saudável, conforme avaliado por densitometria óssea (DEXA).

 

 

De acordo com diversos estudos clínicos, o consumo de cálcio é essencial para a prevenção da osteoporose. Verifica-se que, a ingestão adequada deste mineral, provoca um aumento da DMO durante a formação do esqueleto e previne a perda de massa óssea. Consequentemente, ocorre uma redução da ocorrência de fraturas osteoporóticas na idade avançada e uma melhoria da qualidade de vida associada, uma vez que estas são, muitas vezes, causadoras de dor crónica e incapacidade funcional.

 

 

O raquitismo e a osteomalacia são, também, patologias resultantes de uma mineralização inadequada do osso, por défice de cálcio e de vitamina D.

 

Para além do envelhecimento, existem outros fatores que provocam um decréscimo da quantidade de cálcio no organismo, sendo, portanto, necessário um consumo maior deste mineral. A menopausa (devido à perda de estrogénios), os períodos de gravidez e aleitamento, o uso prolongado de certos medicamentos (glucocorticoides e anti epiléticos) e alguns fatores comportamentais (tabagismo, ingestão elevada de álcool, sedentarismo e baixo peso corporal).

 

Para que o cálcio seja absorvido adequadamente, é obrigatória a presença de vitamina D. O fósforo e o magnésio, também contribuem para uma absorção eficaz do cálcio.

 

 

Vitamina D3

 

A vitamina D é lipossolúvel e encontra-se principalmente disponível sob a forma de vitamina D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol). No entanto, alguns estudos revelam que a vitamina D3 é a que apresenta uma maior afinidade de ligação aos Recetores da Vitamina D (VDRs), o que a torna mais eficaz na manutenção dos níveis de cálcio.

A vitamina D3 é sintetizada na pele, pela ação da radiação ultravioleta (UV B), sendo convertida em calcitriol (1,25-dihidroxicolecalciferol - forma biologicamente ativa da vitamina D3). A deficiência desta vitamina é comum na idade avançada, devido à reduzida exposição solar, às carências alimentares e à perda progressiva da capacidade de síntese da mesma, característica do processo de envelhecimento.

 

A vitamina D3 é hipercalcemiante, isto é, aumenta a quantidade de cálcio no sangue. Atua a três níveis, pois mantém as concentrações séricas de cálcio e de fósforo por controlo da absorção intestinal de cálcio, pela reabsorção renal de fosfato e pela libertação de cálcio pelo esqueleto.

Esta vitamina desempenha o papel mais importante na homeostase do osso pela promoção do transporte de cálcio e de fósforo, de forma a garantir que os níveis sanguíneos destes iões são suficientes para que ocorra uma correta mineralização do esqueleto. É, então, em conjunto com o cálcio, extremamente benéfica na prevenção de hipocalcemia e de doenças ósseas decorrentes da perda de DMO (em especial, da osteoporose) e como coadjuvante no seu tratamento.

 

A hormona paratiroide (PTH) também é importante para regular o crescimento dos ossos, porque exerce controlo sobre os níveis de cálcio, fósforo e vitamina D presentes no sangue.

 

A vitamina D participa, ainda, noutros processos metabólicos que são importantes para manter a saúde.

Estudos recentes sugerem que a vitamina D pode regular a resposta do sistema imunitário em estados de inflamação. Verificou-se que, na presença de várias doenças inflamatórias crónicas (aterosclerose relacionada com doença cardiovascular, asma, doença inflamatória intestinal e doença renal crónica), os níveis de vitamina D tendem a baixar. O mesmo sucedeu com algumas doenças auto-imunes.

A suplementação de cálcio com vitamina D revelou, também,  ser útil nos casos de Diabetes mellitus gestacional.

 

Melhora a função neuromuscular. Intervém na diferenciação e proliferação das células.

Alguns estudos realizados confirmaram a associação entre demência e outras patologias cognitivas com a deficiência em vitamina D. Esta é importante na execução de diversas atividades cerebrais (realizam-se através dos VDRs). A sua utilização é vantajosa nos casos de ansiedade e depressão, especialmente quando acompanhadas por obesidade.

 

 

 

Não se recomenda a sua utilização em caso de gravidez e aleitamento.

 

Este produto é também tolerado por diabéticos.

 

 

Ingredientes:

Óxido de cálcio; Anti aglomerantes (Celulose microcristalina, Estearato de magnésio); Colecalciferol; Gelatina; Corante (Dióxido de titânio).

  • Conheça também os produtos relacionados

Cálcio + Vit D3 é um suplemento indicado para todas as etapas da vida em que há défice de cálcio e de vitamina D, assegurando a saúde dos ossos.

É particularmente útil na prevenção dos casos de osteopenia e osteoporose, bem como coadjuvante no tratamento destas e outras patologias osteoarticulares.

Este produto impede a perda de densidade mineral óssea (DMO), tornando os ossos mais fortes e diminuindo o risco de fraturas ósseas.

O Alho (Allium sativum) é uma planta de cultivo milenar que apresenta numerosas propriedades terapêuticas, resultado de uma composição bastante rica (fructosanas, aliina, algumas vitaminas – A, B1, B2, B6 e C – e alguns sais minerais – ferro, silício, enxofre e iodo).
 
É muito eficaz no tratamento de dores articulares de origem inflamatória e na prevenção e tratamento de infeções, uma vez que se trata de um anti-infecioso natural de excelência. É, também, particularmente vantajoso nas doenças cardiovasculares.
As articulações são estruturas que têm que suportar o atrito provocado pelos movimentos e a carga consequente do próprio peso do corpo, o que explica o facto das doenças a este nível serem frequentes e, muitas vezes, crónicas.
 
A associação das plantas Incenso (Boswellia serrata) e Curcuma (Curcuma longa) é bastante vantajosa para as articulações, tornando-as mais fortes.
Harpagophytum procumbens (Garras do Diabo) tem uma ação anti-inflamatória, com um efeito analgésico.
 
Este produto é particularmente útil no tratamento de dores articulares de origem inflamatória.
 
Contém uma mistura de vários compostos ativos, sendo os de maior relevo o harpagósido, responsável pelas principais propriedades terapêuticas da planta, e os β-sitoesteróis. Estes inibem a formação da prostaglandina-sintetase, que participa no processo inflamatório, sendo mais favorável nos processos crónicos. Tem atividade anti-radicalar.
Magnésio é um produto indicado em todos os casos de défice deste mineral.
Intervém no fortalecimento ósseo e muscular. Contribui para a prevenção de doenças osteoarticulares e é benéfico como coadjuvante no tratamento das mesmas.
É, ainda, eficaz nos casos de depressão, fadiga (física e intelectual), astenia, nervosismo e ansiedade.
 
O magnésio é um mineral de elevada importância para o correto funcionamento do organismo humano.
Cerca de 50% da quantidade total de magnésio encontra-se armazenada no osso, 1% no sangue e o restante nos diversos órgãos e tecidos (designadamente no tecido muscular).
OsteoFlex Nat reúne na sua composição Harpagophytum procumbens (Garras do Diabo), sulfato de glucosaminasulfato de condroitinametilsulfonilmetano e colagénio, o que faz com que seja um produto muito completo e extremamente eficaz no tratamento e controlo de sintomas de doenças de ossos e articulações, nomeadamente a osteoartrite.
 
Este produto alivia a dor e a inflamação e regenera as cartilagens, impedindo a progressão de doenças reumáticas.
Please reload